Category Archives: Notas

Maré de Agosto 33ª edição Cartaz completo

Informação do site oficial www.maredeagosto.com

É já no próximo fim de semana de 18, 19 e 20 de agosto que as músicas do mundo sobem à Praia Formosa, no mais antigo festival de música em continuidade em Portugal; onde são aguardados uns poucos milhares de festivaleiros adeptos do espírito da maré, novamente o cartaz é composto por nomes emergentes e alguns já com créditos confirmados da música mundial. No rodapé deste artigo pode ver vídeos de todos os artistas e bandas apresentados.

Assim para dia 18 pode ver:

De Cuba para o palco da Maré: La Dame Blanche traz um live set explosivo com uma combinação de hip-hop, cumbia, dancehall e reggae. A cantora cubana Yaite Ramos Rodriguez (La Dame Blanche) é também flautista e percussionista. As suas raízes musicais e culturais revelam-se no seu carácter musical e presença em palco, bem como tudo o que podemos ouvir em suas letras. Com aquela que diz ser a sua própria linguagem musical definida, La Dame Blanche, filha do trombonista e diretor artístico da Orquestra Buena Vista Social Club, Jesus “Aguaje” Ramos, fez parte de vários projetos, nomeadamente em Paris – onde considerou haver um “melting-pot de ritmos e melodias”. Em 2014, lança o seu segundo LP de nome “2” – com histórias que se transformam nas suas letras.

 

Cristóvam é um cantautor açoriano, nascido na ilha Terceira.
Iniciou-se na música aos 11 anos como guitarrista, e foi finalista nos concursos mundiais “UK Songwriting Contest” e “Songwriting Competion”. Ao longo do seu percurso venceu também vários concursos de música nacionais como o “LabJovem” ou “Vodafone One’s To Watch”.
Em 2012 lançou o disco de estreia da sua banda October Flight, produzido por
Rui David dos Hands on Approach, no qual participaram nomes como Elkie Brooks.
Pisou palcos internacionais em cidades como Boston ou Amsterdão e partilhou palcos nacionais com Da Weasel, Susana Félix, Mikkel Solnado, Frankie Chavez, entre muitos outros.

 

La Sra. Tomasa está de volta com um novo álbum, trazendo novamente o seu estilo característico único, que vai desde a música eletrónica de vanguarda até os mais quentes ritmos tropicais. “Nuestra Clave” é o nome deste segundo trabalho da jovem banda de Barcelona, que reúne toda a aprendida tanto no estúdio como em tournée pela Europa durante três anos com seu primeiro álbum. Cada música em “Nuestra Clave” irradia essa energia original da banda e capta perfeitamente a essência da sua poderosa vida. La Sra. Tomasa é definitivamente uma grande banda grande eclética e elétrica que nos traz uma mistura especial de sons orgânicos de diferentes latitudes, totalmente comprometida com um espírito de festa hedonista, misturando o poder visceral de batidas latinas combinado com a sofisticação dos sons eletrónicos.

 

Desde Pennywhistle Jive, Hip-Hop, até Kwaito, todos estes estilos se fundem num espectáculo dinâmico que mexe multidões! Recentemente, o novo álbum “Soweto Soul” foi lançado juntamente com um documentário que acompanha um processo de colaborações diversas. Vários artistas contribuíram para o álbum com a “Soweto Soul Band”. Joep ZuluboyMosese outros provam como a história da música pode servir como uma base firme para a criação de um novo e sonante estilo sul-africano. Embora Mbaqanga tenha servido como trilha sonora diária em pequenas cidades da África do Sul por muitos anos, e se tornou um estilo famoso em todo o mundo através da “Graceland” de Paul Simon, agora parece estar desaparecendo no panorama musical sul africano. 

 

Dia 19

Originário do povo Tuareg, Omara “Bombino” Moctar é um guitarrista e cantor estrela do deserto do Saara em uma meteórica ascensão. Seu último álbum, Nomad, foi gravado com o produtor vencedor de um Grammy em 2013, Dan Auerbach, dos The Black Keys e estreou em #1 da Billboard World Music Charts e da iTunes World, colecionando críticas dos principais meios de comunicação do mundo, incluindo a BBC World Serviceque o considera “absolutamente fantástico” e a Rolling Stone, que nomeia Nomad como “o álbum de blues mais emocionante do ano” e “uma combinação perfeita de som e alma [que] introduz um novo herói da guitarra.” A sua deslumbrante performance ao vivo e virtuosismo na guitarra fez com que ganhasse comparações entre os críticos notáveis da música a Jimi Hendrix, Carlos Santana, Neil Yong ou Jerry Garcia. Nascido e criado em Niger, na cidade do norte de Agadez, Bombino é um membro da tribo Tuareg de Ifoghas, descendentes dos berberes da África do Norte. 

Nascido no Norte da Califórnia, Matt Simons vive em Brooklyn, Nova Iorque mas é um artista do globo inteiro. Não tardou muito até ver o seu sucesso crescer particularmente na Europa desde o seu primeiro álbum independente até aos sucessos atuais, culminando por exemplo na sua presença como júri no X Factor Holanda.

A música deste artista serve qualquer ocasião. Veja-se o exemplo de “Catch and Release” remixada por Deepend, e que se tornou um sucesso internacional com mais de 150 milhões de streams no Spotify em menos de um ano e sendo o nº1 em vários países europeus. Culminando numa mistura entre o deep house e as suaves guitarradas com uma voz cheia de soul, a música deu origem ao EP de 2016 “When The Lights Go Down”. O primeiro single de Matt Simons surge com “Lose Control” com participação do produtor Steve Mac que trabalhou com James Blunt, Kelly Clarkson ou Leona Lewis. “Lose Control” baseia-se na ideia de “deixar as inibições e conectar-se a outra pessoa”, segundo Matt Simons. O EP tem um pouco de tudo, mostrando um pouco de vários géneros, sempre com a produção em paralelo das versões house de Deepend.

A mais emocionante banda de rock and roll emergiu das Ilhas Britânicas na década de 2010! Da Irlanda, os The Strypes voltam com energia redobrada em 2017. Após um turbilhão de quatro anos pela estrada, os quatro jovens saíram da estrada para trabalhar no novo álbum, Spitting Image.

Este novo álbum fabulosamente diverso transcende sem esforço as raízes dos Strypes no R & B cheio de adrenalina. Apresentam-se como compositores de habilidade e maturidade que vai além dos seus tenros anos, influenciados tanto por heróis de New Wave como Squeeze e Elvis Costello, ou pelo fascínio com o blues. O produtor Ethan Johns capturou toda a sua química efervescente no palco, ao mesmo tempo que os ajudou a perceber seu próprio potencial como compositores

 

De São Miguel, Açores. Irreverente, audaz, poderoso, espontâneo… Têm como interface os sintetizadores numa perfeita simbiose com o baixo elétrico e a bateria. Prima pela linguagem instrumental como interlocutora do positivismo e da efemeridade da música improvisada. O método é permitir a liberdade criativa e a afirmação de cada um dos seus participantes e viajar nessa combinação e simbiose de sonoridades. Em palco assumem desde a primeira batida um ritmo frenético e vigoroso, induzindo nos corpos presentes a exaltação e movimento que só algo inaudito e prepotente é capaz de provocar.

 

 

 

20 de Agosto

São uma banda jovem do Porto, e trazem à Maré a música popular portuguesa em adaptações e originais. O grupo foi fundado em 2008 por Andres ‘Pancho’ Tarabbia, percussionista uruguaio radicado em Portugal, a quem se juntou António Serginho que entretanto co-assumiu a coordenação e a liderança do grupo. Entre 2010 e 2012, a Casa da Música acolheu os Retimbrar nos projetos do Serviço Educativo – permitindo um role de experiências que se formalizaram não só na Casa da Música, mas também pela sua experiência como grupo de cerca de 30 pessoas em atuações de rua ou em diversas atuações nacionais ou no destaque internacional do Street Artists Festival, em Novi Sad, Sérvia. Com performances ajustáveis a vários contextos durante a sua formação inicial, hoje são um grupo de 12 artistas em palco, que considera fundamental o desígnio de conhecer e dar a conhecer a herança popular e cultural portuguesa. Lançaram o seu primeiro álbum “Voa Pé”, bebendo da música popular com toques de fado e até jazz – colmatando numa base de percussão tradicional que traz uma energia única e vibrante. “Nos Retimbrar o que se faz é música para todos! Atuam com liberdade para que o prazer se renove e a tradição não envelheça.”

De França, são 11 músicos com influências bem vincadas de afrobeat, afrofunk, ethiojazz, globalgroove e com uma energia sem fim! Após 10 anos de tour pela Europa em colaborações com artistas como Tony Allen, Kutiman ou Kokolo, lançam o seu segundo álbum este ano com temas que podem ser ouvidos na Maré de Agosto. Com a que consideram ter sido um “arsenal musical com uma precisão cirúrgica e meticulosa” depois de uma década de trabalho e em tournés pelo mundo inteiro – a ligação à diáspora do Afro-beat é uma marca dos Les Freres Smith que permitiu uma certa união com vários artistas pelo caminho, na apresentação do álbum “Contreband Mentality”. As combinações eruptivas destes ritmos não deixam outra solução ao público dos Les Freres Smith: “Levantar os punhos num único grito sonante: «Smith! Smith! Smith!» – cantado até à exaustão total.

 

Não é música de dança. É apenas música. Apesar da intensa actividade nesse mundo, Moullinex, o alter-ego do viseense Luis Clara Gomes quer ser, e é, muito mais do que uma mera máquina de fazer dançar. Não que não seja bom a pôr pessoas a abanar, é só que se move igualmente bem entre vários géneros e ambientes, sejam eles a pista, o sofá ou a rua. Elsewhere, o segundo disco de originais, vinca isso ainda mais. Soul e funk do passado, com garage rock, MPB – especialmente nas percussões e na flauta, cada vez com mais destaque aqui – e psicadelismo à mistura, bem como sintetizadores carregados de nostalgia pelo futuro, tudo a conviver de maneira perfeita e a deixar bem vincado o facto de a música vir toda da mesma pessoa. Isto, claro, além da sempre presente dança e o objectivo de dar um toque humano às máquinas. Desmarca-se, em especial, do Disco, género ao qual o som de Moullinex tem sido associado ao longo dos anos, seja em singles em nome próprio, DJ sets, remisturas de gente como Sébastien Tellier, Röyksopp e Robyn, Cut Copy ou Two Door Cinema Club, mas também a espectáculos especiais como uma reinterpretação da banda sonora original da saga Star Wars, ou um tributo a Prince. Torna-se, assim, um erro, conotá-lo só com esse género: há muito mais sumo no meio de tudo.

Da Costa do Marfim e inspirado pelas palavras de Bob Marley “Reggae will come back to Africa” Tiken traz o seu mais recente álbum repleto de homenagens musicais com adaptações aos grandes temas deste género musical. Gravado entre Kingston e Bamako, a produção jamaicana traz os melhores sons africanos num álbum único: Racines.

Tiken nunca fez muitos covers e apenas em raras excepções trazia inspirações em temas de outros artistas. No entanto, depois de perceber o entusiasmo do público nos covers dos maiores temas de sempre do mundo do Reggae, o artista rapidamente teceu entusiasmo neste novo álbum. Racines (“raízes, em francês) mostra um empenho singular do maior artista de reggae francófono do mundo.

Com uma vasta colaboração de artistas, este álbum surge também com mão do produtor Jonathan Quarmby (Ziggy Marley, Finley Quaye, Benjamin Clementine).

Tiken como um verdadeiro herói no continente africano já com todos os seus temas originais, faz assim uma homenagem que considerou como um ato simbólico e emocional com este trabalho de temas mais poderosos da indústria reggae com a presença melódica bem forte do continente africano.

 

 


Base de Dados das Casas de Santa Maria

Porque o verão não dura sempre e o fim da sazonalidade representa o fim do rendimento de muitas casas de alojamento local, estamos criando a 1ª base de dados de casas para alugar e arrendar em Santa Maria.

Esta base de dados tem o propósito de reencaminhar os muitos contactos que recebemos ao longo do ano, para estas unidades que se inscrevam na nossa base de dados, os dados recebidos serão única e exclusivamente para nos auxiliar na demanda de casas em Santa Maria e colocar em contacto clientes e proprietários. Não serão nunca cedidos a terceiros.

Esta base de dados engloba aluguer, arrendamento de longa duração e ainda venda de imóveis, muitas vezes desconhecidas e não divulgadas online, fazendo com que a nossa maior fatia de compradores estrangeiros nunca cheguem a ter conhecimento e tenham muita dificuldade em encontrar a propriedade que procuram.

Ao aderir a esta base de dados, está a ter acesso a informação privilegiada, de clientes que efectivamente procuram por casas em Santa Maria, recebemos só este mês 255 pedidos dos quais 223 ficaram sem resposta por falta de conhecimento da nossa parte de casas disponíveis, demos os contactos da nossa lista de habitual (Casas de Santa Maria), muitos dos quais já tinham sido contactados pelos clientes e estavam cheios, deixámos assim 223 pedidos de clientes literalmente na rua e que podíamos ter canalizado para casas que habitualmente recebem hóspedes. Ao ajudar-nos, estará a ajudar-se a si e a quem nos procura. Os últimos números do turismo, mostram uma queda na procura com menos passageiros a passar no nosso aeroporto em 2017 relativamente ao ano anterior, se cada qual continuar fechado na sua capelinha, serão cada vez menos, porque hoje em dia 93% dos visitantes tentam reservar online, se não obtiverem resposta, não vem, se não tivermos resposta para dar, os números continuarão a baixar.

Em caso de dúvida liga 965 817 328

Inscreve já a tua casa na nossa base de dados e recebe clientes no inverno também.

Se o formulário de registo não estiver visível clique no link https://form.jotformpro.com/72102198305954


Color Fest em Santa Maria

Em Santa Maria, novo evento a cargo do Clube Motard de Santa Maria, criou muito entusiasmo nas centenas de pessoas que se dirigiriam ao Forte de Sás Brás em Vila do Porto, com a intenção de marcar presença no primeiro Sunset Color Fest. 

Um evento que foi inspirado no festival Holi, que acontece na Índia durante as celebrações do início da Primavera. Neste festival hindu a Primavera é recebida com música, cores e muita alegria, como forma de simbolizar a vitória do Bem (Primavera) contra o Mal (Inverno). Durante a celebração do Holi, os participantes pintam-se e lançam pós coloridos ao ar, chamados Gulal, desta forma, por apenas um dia, as diferenças de casta, classe social, origem e até religião dissipam-se entre as cores e a celebração primaveril.
A diversidade cultural, o respeito mútuo, a alegria, assim como a tolerância são os motivos que tornam o Holi uma experiência única e festa inesquecível.
Um evento que tem muito de cor, alegria e musica á mistura, em Santa maria, tentou-se para além da classe etária mais jovem foi também motivado os adultos amarcarem presença com os filhos e depois noite dentro, com a presença duma grupo musical açorino os The Code, que em mostraram em palco grande qualidade musical, e depois duma tarde de musica apropriada, subiu novamente ao palco o Dj mariense Sérgio Figueiredo que depois da passagem pela totalidade dos festivais de musica marienses tem também colaborado e muito com o clube motard de Santa Maria nos seus eventos, 
 

Decerto um sábado que ficará como registo em muitos jovens marienses e não só, pela enorme alegria e cor, duma festa deste género em Santa Maria.                              

PR
fotos : DR

Almoço Convívio do Emigrante

Dando continuidade à prática dos anos anteriores, realiza-se a 5 de Agosto pelas 12h30 o Almoço Convívio do Emigrante, a ter lugar nas instalações da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Santa Maria.

Todos os interessados podem inscrever-se até ao dia 1 de Agosto, pelo endereço de email gabapoio@cm-viladoporto.pt ou pelo telefone 296 820 001.


Curso Inicial Tripulante Cabine

Curso Inicial Tripulante Cabine.


Futebol Juvenil em Santa Maria

Torneio de futebol “Marienses Summer Cup 2017”, decorreu em Santa Maria, entre os dias 7 e 9 de Julho no Complexo Desportivo de Vila do Porto.
Foram seis as equipes participantes neste evento organizado pelo departamento de futebol do clube anfitrião o Clube Desportivo ” Os Marienses”, da ilha Santa Maria participou ainda o Grupo Desportivo Gonçalo Velho, da ilha de São Miguel marcaram presenças as comitivas do Grupo Desportivo São Roque, Águia Clube Desportivo, Clube Desportivo de Santo António e ainda Grupo Desportivo Santa Clara.
De registar também alguns jovens no escalão etário dos sub 9 onde em jogos de carácter não competitivos para além das duas equipes marienses CD Marienses e GD Gonçalo Velho, também os atletas do GD São Pedro mararam presença.
Esta organização mariense, teve uma envolvência de cerca de 200 pessoas, onde se destacam os atletas, árbitros, treinadores, colaboradores e as várias claques de apoio com muitos familiares oriundos dos locais das equipes participantes. Para além da vertente desportivo, algo que não é o principal objectivo de torneios deste género, as comitivas tiveram oportunidade de usufruir de muitos locais da ilha de Santa Maria.
As classificações do Torneio:
1º GD São Roque
2º GD Santa Clara
3º CD Santo António
4ºCD “Os Marienses”
5º Águia CD
6º GD Gonçalo Velho
Melhor Marcador: Henrique Teixeira
Melhor Guarda Redes: Rodrigo Dias
Fair Play: GD Gonçalo Velho
P.R.

Marienses Summer CUP 2017

O Projeto Marienses Summer Cup é uma iniciativa desenvolvida pelo Clube Desportivo Os Marienses sob a orientação do professor Henrique Melo

De 7 de Julho de 2017 às 9h30 a 9 de Julho às 15h00.

Este ano, na sua V edição, volta a trazer à ilha mais de 100 pessoas, entre jovens atletas e encarregados de educação. Mais um fim-de-semana cheio de futebol, desporto e convívio.


WordPress SEO fine-tune by Meta SEO Pack from Poradnik Webmastera